Revista LOJAS Papelaria - Edição 274

Revista LOJAS Papelaria - Edição 274

14 JUNHO 2018 - LOJAS PAPELARIA AGENDAS As agendas digitais chegaram ao mercado por meio de computadores e smartphones para conviver pacificamente com os modelos impressos. É possível notar que muitos adotam até as duas ao mesmo tempo como for- ma de garantir os compromissos, ou mesmo porque o papel passa uma confiabilidade maior, talvez. De qualquer forma, essa convivência é harmo- niosa e garante público para as duas opções. “Sabemos que o forte crescimento dos smartphones influencia na possibili- dade do uso da agenda digital, porém, também sabemos que muitas vezes o que tem ocorrido é a convergência da agenda do papel com o digital. Temos muitos jovens que já estão inseridos neste mercado digital há um tempo e, mesmo assim, não largam a sua agenda, como forma de manter suas anotações e, muitas vezes, a utilizam como objeto de se relacionar com seu grupo, afinal também é um artigo de moda e expressão”, avalia o gerente nacional de vendas da Foroni, Ricardo Baena. Outro ponto im- portante que ele destaca é que, em escritórios, muitos executivos utilizam a agenda como tomador de notas e direcionamento de pautas, que agora com o modelo Planner, formato ainda mais produtivo para este tipo de usu- ários, tem ganhado espaço e destaque crescendo ainda mais a penetração em novos usuários. Sintonia Claudinéia de Souza Prado, do departamento de Marketing da DAC, ob- serva que o brasileiro tem se mostrado muito criativo em manter o uso da agenda diária, pois existem diferentes tipos de marcadores, colagens e uso de várias cores para a gravação através da memória fotográfica. “Vê- Agradando todos os públicos Digital e impresso convivem em um universo onde se dividem as preferências por públicos específicos -se a necessidade de carregar a agenda sempre para não se esquecer de cumprir nenhuma atividade e nem de anotar as próximas, contudo, o peso e o espaço é um incomodo e, por isso, é importante estar atento a esses comportamentos. As expectativas para o uso desse produto continuam al- tas, acreditamos até mesmo na evolução das vendas, pois a DAC garante qualidade e esta em sintonia com as considerações apontadas.” Claudinéia ressalta que existe nicho para todos os públicos, inclusive para os digitais, e a transação é contínua, uma parcela das pessoas conhece as ferramentas digitais e se adapta muito bem, a ponto de não voltar mais para o papel, enquanto outras vão, mas voltam às anotações tradicionais. “É preciso entender por quê voltam e cativá-los a permanecer com a efi- ciência desse método. Os públicos são diferentes e pedem atenção única, então não dá para fazer nada genérico. As agendas da DAC são de cunho executivo, para os profissionais organizarem-se a cada hora do dia, pois o tempo é precioso. A novidade desse ano foi verticalizar o fim de semana.” Fundamentais para o dia a dia O portfólio Tilibra, completo em modelos e marcas, é um reflexo direto de que o mercado de agendas e, mais recentemente, de Planners encontra-se estabilizado e com novas perspectivas, analisa Karina Marchini. “As ten- dências em termos de organização e planejamento alavancaram as vendas desses itens, que se tornaram fundamentais no dia a dia de quem preza por organizar compromissos e estabelecer metas e prazos.” Para Karina, as agendas digitais ganharam espaço e são uma alternativa para os diferentes públicos habituados às agendas impressas. “No entanto,

RkJQdWJsaXNoZXIy MTY1MzM=