Anuncie

Pesquisa revela que 42% dos brasileiros só acreditam na retomada do país no segundo semestre

05/05/2020 - 11:05

Nova onda de estudo do Grupo Croma ainda revelou que 60% não adquiriram nenhum bem de consumo desde o inicio da pandemia

O Instituto de Pesquisa & Data Analiytics Croma Insights, realizou 8079 entrevistas divididas em oito ondas no período de 15 de fevereiro a 28 de abril de 2020, analisando o comportamento do brasileiro na pandemia Covid-19 Coronavírus. A metodologia usada foi painel on-line Toluna aplicada em todo o Brasil e analisada pelo Grupo Croma 1*. Padrões comportamentais e a grande preocupação frente a pandemia são os destaques desta nova onda, bem como o surgimento de novas marcas lembradas pelos brasileiros.

A preocupação da população com a pandemia volta a crescer após uma queda na onda anterior e atinge 80% entre os muito e os extremamente preocupados. Quase metade da população afirma ter sido impactada financeiramente pela pandemia, principalmente autônomos que estão sem rendimentos e pessoas que estão em casa sem poder trabalhar. Hábitos como lavar tudo o que entra em casa, cuidar da casa sem faxineira e home office tem ligeira queda, mas se mantém presentes, bem como as compras online em mercados e delivery de comida. Outros hábitos se tornaram presentes também como o resgate de cozinhar em casa (68%) e a nova modalidade de entretenimento das lives (58%). 

A compra de itens para proteção pessoal e da família permanece estável, porém com queda na compra de máscaras descartáveis em contrapartida ao aumento da compra de máscaras reutilizáveis de tecido. As mudanças nas missões de compra estão incorporadas no hábito durante a quarentena, principalmente as compras em maior quantidade e menor frequência e as compras em mercados de bairro. Nota-se uma queda na compra de sabonetes, álcool em gel e papel higiênico. Os canais de streaming de vídeos, continuam  continuam fazendo parte da maioria dos entrevistados (76%) e os aplicativos de bancos  continuam sendo utilizados por metade da população (50%).

Entre as marcas que se posicionaram positivamente na pandemia, os bancos aparecem com grande destaque, principalmente o Itaú (20%)  pela sua doação de R$ 1 bilhão para o combate ao Covid-19 e também Santander (8%) e Bradesco (7%). Ambev e Magalu continuam bastante lembradas por 15% e 11% respectivamente, por suas ações de produção de álcool em gel, máscaras faciais, doações à comunidade, entre outras. Nubank, Banco do Brasil também foram mencionados nesta nova onda da pesquisa. 

Uma nova pergunta foi inserida nesta nova onda, questionando o futuro e a normalidade da situação pós Covid, 27% dos entrevistados acreditam que nós proximos dois meses já estaremos com as retomadas concluídas, enquanto  42% acreditam que só depois do segundo semestre que as atividades voltarão a normalidade (19% em três meses e 23% em quatro ou mais meses) . 8% não souberem dizer. 

Celulares (15%), televisores (8%) e notebooks (7%) foram os itens de bem de consumo foram os mais comercializados desde o ínicio da pandemia, enquanto 60% não compraram nenhum bem de consumo, poupando as reservas para contas, alimentação e itens de higinene. Durante a pandemia o mundo adotou novos meios de trabalhar, comunicar e se proteger. Como será o comportamento pós pandemia, será que alguns hábitos permancerão? 56% pretendem manter o home-office como meio de trabalho, 51% vão continuar buscando novos conhecimentos e 48% dos entrevistados irão reavaliar crenças e valores. 

1* Fonte: Pesquisa on-line Toluna. Análise: Instituto de Pesquisa & Data Analytics Croma Insights.

Onda 1: 19/02/2020 (n = 1.013)
Onda 2: 04/03/2020 (n = 995)
Onda 3: 18/03/2020 (n = 965)
Onda 4: 23/04/2020 (1005)
Onda 5: 30/03/2020 (1014)
Onda 6: 05/04/2020 (1082)
Onda 7: 12/04/2020 (1002)
Onda 8: 19/04/2020 (1003)

  Mais notícias