Anuncie

Para se adaptar à pandemia, lojistas migram para o e-commerce

11/09/2020 - 11:09

Desde o início da pandemia mais de 125 mil lojistas aderiram às vendas pelo e-commerce

Pesquisa do Koncili enviada pelo E-commerce Brasil sobre o e-commerce na pandemia, aponta que muitos lojistas de rua criaram e-commerces para minimizar os efeitos do isolamento social no comércio tradicional.

De acordo com os dados da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), estre os setores em alta com e-commerce estão Moda, Serviços e Alimentos. Entre janeiro e maio, a ABComm e a Compre&Confie registram um aumento de 65,7% no número de pedidos e de 56,8% em faturamento.

Os cinco destaques foram nos segmentos de Beleza & Perfumaria, Móveis, Eletroportáteis, Eletrônicos e Esporte & Lazer. Para entender melhor esse cenário, o Koncili e o E-commerce Brasil desenvolveram a pesquisa ‘Panorama da gestão e inteligência financeira do e-commerce’, que foi encaminhada aos vendedores associados à plataforma.

Omnichannel é a tendência do momento

A pesquisa mostrou que grande parte dos sellers possuem e-commerce próprio, mas foi observado um crescimento no chamado omnichannel, uma experiência simultânea e integrada dos diferentes canais ao longo da experiência de compra.

Cada vez mais, são investidos esforços de vendas em outros canis, como loja física, marketplaces, redes sociais e aplicativos, como o WhatsApp. A pesquisa traz ainda importantes informações sobre as prioridades dos sellers, como precificação, margem de lucro e preços praticados pela concorrência e despesas fixas.

Conciliação das vendas ainda é feita de forma manual pela maioria

Tão importante quanto vender é receber os repasses dos marketplaces de forma correta e, para tanto, é preciso cuidado no processo de conciliação das vendas. A pesquisa revelou também que 40% dos respondentes disseram realizar a conciliação de forma manual, enquanto 27% tem uma organização própria e pouco mais de 16% conta com o auxílio de um software nesse processo.

Empresas que realizam conciliação financeira têm um aumento de produtividade e controle de recebíveis eficaz, o que melhora não só a qualidade da tomada de decisões pelos gestores, mas possibilita ter informações mais confiáveis.  

É na hora da conciliação de cartões que os e-commerces encontram alguns de seus principais problemas: vendas duplicadas, taxas indevidas e chargebacks e todos esses podem ser evitados com uma conciliação bem-feita.  

Entre as principais razões para conciliar os repasses dos marketplaces, estão o controle de fluxo de caixa, a verificação do repasse correto de recebíveis, o controle da operação on-line e a gestão assertiva das transações de vendas nos marketplaces.

De acordo com Cássio Serea, diretor do Koncili, “automatizar o processo de repasses dos marketplaces no e-commerce é um caminho mais importante do que apenas facilitar a execução dos projetos financeiros. Ter esses dados e pagamentos de forma clara e precisa, sem se preocupar com erros e atritos durante a rotina diária de vendas, abre novos focos para um negócio por meio de uma gestão financeira muito mais eficiente”.

Para ler a pesquisa na íntegra, acesse https://bit.ly/3accX3l

  Mais notícias