Revista LOJAS Papelaria - Edição 273

Revista LOJAS Papelaria - Edição 273

16 MARÇO 2018 - LOJAS PAPELARIA PRODUTOS LICENCIADOS O setor de licenciamento apresentou crescimento médio de 5% nos últimos anos, segundo dados da Abral (Associação Brasileira de Licenciamento), entretanto com a atual situação econômica, a presidente da entidade, Marici Ferreira, estima que para 2017 o faturamento se mantenha igual a 2016, com R$ 17,8 bilhões. Para 2018 as perspectivas são mais otimistas. “A economia tem dado sinais de recuperação e o mercado brasileiro tem grande potencial para o licenciamento de marcas. As pessoas se identifi- cam com as marcas e estas, por sua vez, buscam no licenciamento estratégias para se aproximar ainda mais dos clientes e estabelecer vínculos emocionais. Além disso, teremos o evento da Copa do Mundo em 2018, o que deve acelerar ainda mais o mercado de licenciamento”, acredita Marici Ferreira. O licenciamento gera oportunidade para todas as pontas da cadeia, segundo a presidente da Abral. Para os licenciadores, a divulgação e propagação da marca por meio da fabricação e comercialização de produtos e serviços, ganhando, assim, mais notoriedade e valor em sua pla- taforma de origem (TV, cinema, moda, games, publicações). “Para o Fabricante, distribuidores e varejistas agrega valor ao produto, pois além de receber os valores remetidos à marca, ganha a chancela do dono da marca. Ou seja, aumenta o volume de vendas, ganha novos mercados (mais espaço nos pontos de venda) e fortalece tanto o produto/linha, como o nome da empresa. Já os distribuidores e varejistas, sabendo do valor percebido pelo consumidor, investem em linhas licenciadas para comercialização.” Ferramenta de marketing A presidente da Abral avalia que o licenciamento é uma poderosa ferramenta de marketing que pode ajudar a indústria e o varejo a se aproximarem e estreitarem seu relacionamento com o clien- te, além de gerar crescimento de vendas. “Quando a indústria ou varejo uti- lizam o licenciamento de um per- sonagem ou marca em seus pro- dutos, aliam os valores intangíveis desta marca ou personagem, com o qual o cliente se identifica a um produto físico. Isso desperta o de- sejo e interesse do cliente em com- prar o produto licenciado.” A especialista de marketing da Summit, Vanessa moreno, obser- va que esses são produtos que acabam custando mais ao consu- midor, porém entregam toda uma Oportunidade para impulsionar os negócios Licenciamento atua como uma ferramenta de marketing que pode ajudar a indústria e o varejo a se aproximarem e estreitarem seu relacionamento com o cliente, além de gerar crescimento de vendas Marici Ferreira, presidente da Abral (Associa- ção Brasileira de Licenciamento) história junto com eles. “Os produtos licenciados são muito positivos para nossa marca, já que os licenciadores conduzem trabalhos incríveis com os personagens. Trabalhar com licenças em pro- dutos também é um diferencial devido a esse suporte. Inclusive, desenvolver as linhas é muito bacana, já que os guidelines oferecem uma infi- nidade de opções de desenhos muito bacanas, que sempre agregam mais aos produtos. O seg- mento de licenças cresce cada vez mais. Ob- servamos licenças novas serem criadas a cada ano, bem como o sucesso dos personagens mais clássicos. Através da nossa marca TRIS nos consolidamos como uma das empresas que trabalha com as melhores licenças do mer- cado. Temos produtos de personagens Disney (Princesas, Carros, Frozen), Mattel (Barbie, Hot Wheels), entre outros. Na última temporada lan- çamos a linha de escrita da Miraculous, sucesso absoluto de vendas.” No entanto, Vanessa reconhece que o cenário econômico impacta diretamente esse mercado, já que os produtos acabam tendo valores mais altos que produtos sem licenças. “Por isso, quan- do o mercado está aquecido, os consumidores costumam comprar mais.”

RkJQdWJsaXNoZXIy MTY1MzM=